NotíciasOpinião
Destaque

Esportistas de todo o mundo se manifestam contra o racismo

Esportistas de todo o mundo se manifestam contra o racismo. Fico muito irritado quando assisto entrevistas dos atuais jogadores de futebol. A maioria absoluta deles tem o mesmo discurso superficial onde falam e não dizem absolutamente nada. Alguns até demonstram rara habilidade com a bola nos pés, porém quando são chamados a darem opinião são rasos intelectualmente.

Nessas horas sinto uma imensa saudade de jogadores como Afonsinho, que atuou nas décadas de 1960/70, e Sócrates, o ídolo do Corinthians que jogou entre os anos 1970/80. Poderia citar outros mas vou me ater apenas a esses dois craques. Ambos tinham em comum a habilidade técnica, a inteligência, eram meias e médicos. Além desses predicados eles eram politizados e não evitavam dar opiniões sobre os principais problemas políticos e sociais do país. E isso em um período muito difícil politicamente na história do Brasil.

Afonsinho, que jogou no Santos, Botafogo (RJ), XV de Jaú, Olaria, Vasco, Flamengo e Fluminense, foi o primeiro jogador a conseguir passe livre no Brasil, em 1971. Lembrando que esse direito os jogadores só adquiriram 27 anos depois através da Lei n° 9615.

Doutor Sócrates
O Doutor Sócrates marcou época pelas posições políticas que assumia dentro e fora dos gramados (Foto: FIFA)

Já o Doutor Sócrates, como era carinhosamente chamado pela torcida corinthiana, marcou época pelas posições políticas que assumia dentro e fora dos gramados. Juntamente com Casagrande e Wladimir, liderou o movimento que ficou conhecido como Democracia Corintiana e participou ativamente do movimento Diretas Já, que pedia a redemocratização do Brasil.

Ele aproveitava o seu prestígio no futebol como instrumento para exercer sua liberdade de expressão. Tanto que comemorava seus gols com o punho cerrado erguido aos céus, tal como os Panteras Negras – movimento revolucionário dos Estados Unidos.

Feita essa longa introdução, fiquei muito feliz ao ver esportistas de todo o mundo demonstrando solidariedade ao movimento “Black LivesMatter”– “Vidas Negras Importam”, em inglês -, que exige justiça no caso da morte do negro norte-americano George Floyd por policiais de Minneapolis.

Que bom ter visto o atacante Marcus Thuram se ajoelhando após marcar um gol na vitória do Borussia Mönchengladbach sobre o Union Berlin, no Campeonato Alemão. O francês repetiu o gesto de Colin Kaepernick, ex-jogador do San Francisco 49ers da NFL (liga de futebol americano dos EUA), em 2017, durante a execução do hino nacional dos EUA, em protesto contra a contra a violência policial e a desigualdade racial no país.

Também na Bundesliga, o atacante inglês Jadon Sancho, do Borussia Dortmund, protestou exibindo uma camiseta escondida sob o uniforme do time com a mensagem “Justice for George Floyd” – “Justiça para George Floyd” – após marcar um gol.

manifestam contra o racismo
Jadon Sancho, atacante do Borussia Dortmund, protestou exibindo uma camiseta escondida sob o uniforme do time (Foto: Reprodução Instagram Sanchoo10)

Durante toda a semana, muitos outros atletas também se manifestaram através das redes sociais com as mais diferentes mensagens sobre o mesmo assunto. Entre eles, o atacante do PSG, o francês KylianMbappé, e o hexacampeão mundial de Fórmula 1, Lewis Hamilton, que tem mais de 5,7 milhões de seguidores no Twitter, O astro inglês postou um vídeo de uma jovem negra americana chorando sobre o racismo nos EUA.

Outra esportista negra, a tenista Serena Williams propagou o vídeo “Don’t Do It” da Nike juntamente com a mensagem: “Não finja que não há problema na América”.

Na Premier League, jogadores do Liverpool e do Chelsea divulgaram fotos em solidariedade ao movimento contra o racismo. Em ambas as imagens os atletas ajoelhados em sessões de treinamento das equipes. A foto foi retuitada pelas contas oficiais de ambos os clubes.

manifestam contra o racismo
Jogadores do Liverpool ajoelhados no gramado do estádio Anfield Road em solidariedade ao movimento “Vidas Negras Importam”(Foto: Andrew Powell/Liverpool FC/Twitter)

manifestam contra o racismo

Fico pensando se no Brasil os campeonatos já tivessem sido retomados se os jogadores também iriam aderir em solidariedade aos movimentos contra o racismo que acontecem mundo afora. Ou será que, apesar da pandemia da covid-19 que está matando milhares de brasileiros diariamente, iriam fazer dancinhas coreografadas na hora do gol. Melhor não saber!

Gostou? Vem muito mais dicas, notícias e palpites por aí! Acompanhe o Futeblog!

Roberto Maia é jornalista, cronista esportivo, editor da revista Qual Viagem e do portal Travelpedia.

Quer colaborar? Entre em contato! 

Conheça os melhores campeonatos de games de futebol que existem aqui!

Veja o que o MessiIbra e o CR7 estão fazendo!

Faça suas apostas no futebol com bônus que dobra o seu depósito e torça para faturar um bom dinheiro nesse final de semana! Fique de olho no Futeblog que sempre vamos te contar os jogos para apostar!

Não perca nossas dicas de viagem no AJanelaLaranja.com

 

Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo