Futebol FemininoNotíciasOpinião
Destaque

Debinha nas olimpíadas: presença confirmada na Seleção Feminina

Mais um nome de peso para ajudar na busca pelo primeiro ouro

Débora Cristiane de Oliveira, a Debinha, está garantida nas olimpíadas de Tóquio 2020. A meia e atacante é experiente, tem 29 anos e quer ajudar a Seleção Brasileira Feminina a conquistar o Ouro inédito nos jogos.

Debinha nasceu em Brazópolis, Minas Gerais e, assim como a maioria das jogadoras, sentiu na pele o preconceito da sociedade. Na infância, a atleta jogava futebol na rua com os outros meninos do seu bairro.

Na escola, ela e algumas amigas tomaram a iniciativa e pediram à professora se poderiam criar um time de futebol feminino. Foi aí que tudo começou. Assim, o time liderado por Debinha se saiu muito bem nos campeonatos estudantis. Isso rendeu um convite para ela fazer um teste em um clube de futebol.

Debinha olimpíadas

O começo de Debinha no futebol profissional antes das olimpíadas

Após se destacar jogando futebol na escola, Debinha conseguiu fazer um teste no Saad Esporte Clube. Na época, o clube estava na cidade de São Caetano do Sul. Assim, ela foi aprovada rapidinho em 2007. E aí Debinha, com 16 anos, começou a atuar ao lado de jogadoras que já defendiam a Seleção.

A atleta atuou até o ano de 2009 no Saad e depois de transferiu para a Portuguesa. Além disso, ela ainda atuou no Centro Olímpico e no Foz Cataratas FC antes de ir para a Europa.

Debinha se consolidou graças a um projeto ousado

A “lapidação” da atacante da Seleção Brasileira Feminina rolou graças a um projeto ousado do Saad Esporte Clube. O Saad surgiu em 1961 em São Caetano do Sul. Mas isso foi em 1985, ainda quando o futebol feminino sofria um preconceito gritante, o clube criou a categoria feminina.

Em 1989, o Saad fechou o futebol masculino e permaneceu apenas com o feminino. A partir de 1990, o clube fez algo até hoje considerado audacioso. Em um convênio com a National American University, o Saad montou uma equipe brasileira para jogar a Liga Profissional Feminina dos Estados Unidos.

Além disso, houve a criação de 3 equipes femininas que disputaram 3 modalidades diferentes de futebol nos EUA. O clube Saad existe até hoje, mas mudou de sede. Atualmente, disputa competições de futebol feminino em Campo Grande e também Águas de Lindóia.

Carreira internacional e títulos

Debinha foi para a Europa em 2013, defender o Avaldsnes IL, da Noruega. Em 2014, chegou a voltar para o Brasil e atuou no São José de São Paulo. Mas voltou para o Avaldsnes IL em 2015.

Em 2016, saiu do continente europeu direto para o continente asiático. Lá ela jogou pelo Dalian Quanjian, da China. Por fim, em 2017, chegou ao North Carolina Courage, dos Estados Unidos, onde permanece até hoje.

No North Carolina Courage, a atacante conquistou seus títulos mais importantes em clubes. Assim, em 2018 e 2019, ajudou a equipe a conquistar o bicampeonato nacional de futebol.

Acompanhe nossas matérias sobre o Futebol Feminino! Aqui!

Debinha é presença confirmada em todas as convocações (incluindo as olimpíadas)

Debinha já estava quase como certa nas Olimpíadas por conta do histórico dela com a treinadora Pia Sundhage. Assim sendo, ela atuou em todos os jogos sob o comando da técnica e esteve em todas as convocações.

Titular absoluta, Debinha quer ajudar na conquista do Ouro. Em 2016, no Rio, esteve na campanha do Brasil, que culminou na 4° colocação geral, não rendendo nem a medalha de Bronze. Por fim, em 2018, ajudou o Brasil na conquista da Copa América do Chile, marcando 3 gols. E assim, agora é só esperar para ver ela fazendo bonito em campo com suas colegas de equipe.

Aposte na seleção brasileira feminina nas Olimpíadas na Pinnacle!

Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo